Indicados para faixa de 8 a 80

Para respirar outros ares no mundo da literatura infanto-juvenil nesses tempos de reinado absoluto dos best-sellers contemporâneos como A Culpa é das Estrelas, de John Green e toda a série Harry Potter. 

 

A Bolsa Amarela,  Lygia Bojunga – Em conflito com a família e consigo mesma, uma menina esconde na sua bolsa “três grandes vontades”: “a de crescer, a de ser garoto e a de se tornar escritora”. Afinal, criança tem vontade ou sua vontade é a dos adultos? A garota relata como é seu cotidiano, intercambiando o mundo real, no qual vive com a família, e seu próprio mundo, no terreno da imaginação. Um clássico infanto-juvenil.
A Mulher que Matou os Peixes, Clarice Lispector –  ‘A mulher que matou os peixes infelizmente sou eu’. Assim, com a confissão do “crime”, Clarice começa a contar, de maneira extremamente delicada, uma história que aborda temas complexos como dor e perda e o duro fato de que, às vezes, as coisas acontecem de maneira diferente da que queremos.
A Aranha e Outros Bichos, Manuel Bandeira – A poesia universal e para todas as idades de Bandeira, ilustrada pelo paulista Orlando Pedroso.  Segundo as palavras do organizador da coletânea, Carlito Azevedo, poemas de “uma simplicidade tão desconcertante e uma verdade tão humana, que sempre foram lidos indistintamente por adultos, jovens e crianças”.

Onde Vivem os Monstros, Maurice Sendak – Um dos primeiros trabalhos definidos como literatura ilustrada, o livro, de 1963, acompanha a história do garoto Max e como ele descobre valores como respeito, amizade e carinho. Traduzido em mais de 20 idiomas, vendeu milhares de exemplares mundo a fora, virou filme e ganhou ainda mais fama ao ser citado como “seu preferido” pelo presidente Barack Obama.

A Parte que Falta, Shel Silverstein – Fenômeno de vendas recente, o livro tem como protagonista um ser circular que visivelmente não está completo: falta-lhe uma parte. E ele acredita que existe pelo mundo uma forma que vai completá-lo perfeitamente e que, quando estiver completo, vai se sentir feliz de vez.  Reflexões sobre relacionamentos recomendada para todas as idades.

 

O Pequeno Vampiro ( e toda série), Angela Sommer-Bodenburg-  O livro conta a história de Anton. Um garoto que adora ler histórias de terror, principalmente de vampiros. Em meio a todos os relatos horripilantes, conhece um vampiro de verdade.  Um clássico que já foi adaptado para o cinema, tv e teatro.
Caninos Brancos, de Jack London – A história de um lobo aprisionado e utilizado como puxador de trenó e cão de rinha mostra de maneira tocante as relações entre o homem e a natureza.  Outro clássico que deu enorme contribuição para a formação e ampliação de leitores no mundo inteiro.
Minha Vida de Menina, Helena Morley – Diário de uma adolescente na cidade de Diamantina do final do Século XIX, o livro foi publicado em 1942, sob pseudônimo (não era bem visto uma mulher da classe social da autora Alice Dayrell Caldeira Brant ser escritora). Encantou a poetisa Elizabeth Bishop, que o traduziu para o inglês, o poeta Carlos Drummond de Andrade e Guimarães Rosa, que classificou o livro como o “mais pujante exemplo de tão literal reconstrução da infância”.

 

Ou Isto ou Aquilo, Cecília Meireles – Global – Parte da memória afetiva de várias gerações brasileiras, o poema que dá título ao livro brinca com as palavras para criar um universo de encanto. São mais de cinco dezenas de poemas ilustrados por Odilon Moraes.

O Menino do Dedo Verde, Maurice Druon – Lançado em 1957, o livro conta a história encantadora de Titsu, um menino que sem querer descobre ter o dedo verde, fazendo nascer flores e plantas em tudo aquilo que ele encosta.

Alice no País das Maravilhas, Lewis Carrol – Uma dos livros infantis mais conhecidos em todo o mundo, a história da racional e corajosa Alice encanta qualquer faixa etária pela sua magia, estranheza e peculiaridades. Pelas possibilidades de múltiplas interpretações, rendeu e continua rendendo adaptações para o cinema, teatro, quadrinhos, tv etc. Uma dos grandes sucessos recentes foi o filme de Tim Burton, com Johnny Depp como o Chapeleiro Maluco, lançado em 2010.

 

 

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s