88 anos de Gullar

ferreiragullar2
Gullar durante posse na Academia Brasileira de Letras (ABL) em foto de Fábio Motta/AE

Levado há quase dois anos por diversos problemas respiratórios que culminaram em uma pneumonia, José Ribamar Ferreira, o poeta, teatrólogo, ensaista, crítico de arte e artista plástico, Ferreira Gullar estaria celebrando hoje 88 anos de idade. O maranhense foi eleito, em 2014, imortal pela Academia Brasileira de Letras e publicou, em 1976, durante exílio em Buenos Aires, aquele que é considerado sua obra-prima, o “Poema Sujo”, uma obra de mais de 100 páginas, traduzida em diversos idiomas.

Produção poética:

Um Pouco Acima do Chão – 1949

A Luta Corporal – 1954

Poemas – 1958

João Boa-Morte, Cabra Marcado para Morrer (Cordel) – 1962

Quem Matou Aparecida (Cordel) – 1962

A Luta Corporal e Novos Poemas – 1966

História de um Valente (Cordel, na clandestinidade, como João Salgueiro) – 1966

Por Você, por Mim – 1968

Dentro da Noite Veloz – 1975

Poema Sujo – 1976

Na Vertigem do Dia – 1980

Crime na Flora ou Ordem e Progresso – 1986

Barulhos – 1987

O Formigueiro – 1991

Muitas Vozes, 1999

Um Gato chamado Gatinho – 2005

Em Alguma Parte Alguma – 2010

Fonte: Wikipedia

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s