Obra de Lobato ganha novas e diversas adaptações

Menos de um mês após sua obra literária entrar em domínio público, o mercado não perdeu tempo e criações de Monteiro Lobato (1882-1948) já encabeçam uma série de lançamentos de filmes a livros e histórias em quadrinhos. Além da nova edição de “Reinações de Narizinho”, pela Companhia das Letras, já foi anunciado, também, que o clássico “Sítio do Picapau Amarelo”, consagrado em séries nas Tvs Tupi, Cultura e Globo, terá versão para o cinema dirigida por Fabrício Bittar.

Abaixo outros lançamentos já anunciados e listados pelo Caderno 2, do Estadão:

A Chave do Tamanho e O Picapau Amarelo – Biblioteca Azul

Histórias do Sítio adaptadas para o século 21 pelo escritor Pedro Bandeira – Moderna

Urupês – adaptação do livro de contos de Lobato para jovens em preparação Márcia Camargos

Narizinho Arrebitado – Lançamento anunciado pelo desenhista Maurício de Souza com adaptação de Regina Zilberman

Reinações de Narizinho – Série de livros prometida pela FTD com a participação de 11 ilustradores.

Novidades de Euclides

Conforme notícia do blog Painel das Letras, da Folha, uma nova biografia do escritor Euclydes da Cunha (1866-1909) deve ser publicada no próximo ano, pela editora Todavia. Segundo o blogueiro Maurício Meireles, o livro trará como principal novidade a relação de Euclydes com o Itamaraty e com o barão do Rio Branco e será assinado pelo diplomata Luís Cláudio Villafañe G. Santos.

Livro de Michelle Obama é o mais vendido na Amazon

Lançada em novembro do ano passado e com 3 milhões de cópias vendidas nos dois meses seguintes, a autobiografia da ex-primeira dama dos Estados Unidos, Becoming (Minha História), lançada aqui pela Objetiva, acaba de assumir a primeira posição entre os mais vendidos da Amazon. Liderava o ranking, até então, Cinquenta Tons de Cinza, lançado em 2012. No Brasil, segundo matéria do Caderno 2, do Estadão, a história de Michelle Obama é o segundo livro de não ficção mais vendido, perdendo apenas para Aprendizados, da top model Gisele Bündchen.

Sem consenso

Uma pergunta que é feita desde sempre e que continua sem uma resposta unânime é o tema do livro Arte é o que Eu e Você Chamamos de Arte?, do crítico e historiador Frederico Morais. A obra, segundo noticia o Aliás, do Estadão, foi publicada originalmente em 1998 e acaba de ser reeditada pela Bazar do Tempo. O livro reúne 801 reflexões sobre a arte por figuras como Socrátes, São Tomás de Aquino e Leonardo da Vinci.

Abaixo três respostas registradas no livro e publicadas no artigo de André Cáceres no Estadão:

“A arte é a arte”

“Arte é um conceito estatístico. Se há gente suficiente que decide que uma coisa é arte, então é arte”

“Tudo é arte. Nada é arte”

A Revolução em HQ

A nova edição de “A Revolução dos Bichos”, de George Orwell (1903-1950), récem-lançada pela Companhia das Letras em versão em quadrinhos, é destaque do Eu&Fim de Semana, do Valor. Segundo o artigo, assinado por Cadão Volpato, a obra de 1945 tem pouquíssimas versões em HQ e envolveu um trabalho de oito meses do desenhista gaúcho Odyr. “As ilustrações são robustas, adultas, feitas à tinta, e parecem cair como uma luva na atmosfera opressiva do livro”.