Os donos das palavras

Chaucer em ilustração do acervo da British Library

Alguns autores célebres na literatura mundial, se notabilizaram também pela criação de palavras que, segundo matéria publicada no site da BBC Brasil, “mudaram a forma como pensamos, ouvimos, descobrimos e existimos no mundo”. Abaixo uma amostra da seleção da BBC.

Twitter – (ou ‘twiterith’, como era o termo original na metade do século 14)

Surgiu da pena de Geoffrey Chaucer em sua tradução do livro “A Consolação da Filosofia”, do filósofo do século 6 Boethius, significa “gorjear”. É uma das mais de 2,2 mil palavras cuja criação é atribuída ao poeta medieval.  

Visualizar – Em 1817, o poeta romântico e crítico Samuel Taylor Coleridge criou a palavra em sua confissão filosófica “Biographia Literaria” – um século depois que a palavra “Envision” (“vislumbrar”) foi criada.

O mesmo Coleridge é responsável por introduzir ao inglês outras palavras para descrever aspectos mais sombrios da experiência humana, como “Psicossomático” e “Pessimismo”. Costuma ganhar o crédito também por “Intelectualise” (“intelectualizar”), que significa transformar um objeto físico em uma propriedade da mente, e “Thingify” (“coisificar”), que significa transformar um pensamento em um objeto.

“Outsider” (excluído) seria uma criação da britânica Jane Austen e “Angst” (Raiva), da alemã George Eliot.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s