Novo livro de Thomas Piketty nas prateleiras

Já tem data para chegar ao mercado de língua inglesa o novo livro de Thomas Piketty, autor de “Capital no Século 21”, estudo do economista francês sobre a desigualdade, com mais de 2,5 milhões de exemplares vendidos no mundo e publicado aqui em 2013, pela Intrínseca. Seis anos depois, sua nova obra, “Capital e Ideologia”, recém-lançada na França, ganha versão em inglês em março do ano que vem. Dessa vez, Piketty põe em questão a superação do “hipercapitalismo” e defende que todas as ideologias acabam sendo substituídas por outros sistemas de organização, e que o mesmo vai acontecer com o regime atual.

Trecho de entrevista concedida pelo autor à Agência France-Presse (AFP) por ocasião do lançamento de “Capital et Idéologie”:

“É hora de fazer um balanço das decisões tomadas desde os anos 80 e 90. No início da década de 2020 podemos ver seus limites com uma globalização altamente desigual, que é desafiada por muitos e que nutre avanços identitários extremamente perigosos. A revolução conservadora de Ronald Reagan e Margaret Thatcher, assim como a queda do comunismo soviético, deram uma espécie de impulso a uma nova fé, às vezes ilimitada, na autorregulação dos mercados, na sacralização da propriedade. Mas é um movimento que, acredito, está chegando ao fim.”

Celebrando Machado

Falecia, há exatos 111 anos, no Rio de Janeiro, Joaquim Maria Machado de Assis. Jornalista, contista, cronista, romancista, poeta e teatrólogo, Machado de Assis, nascido em 21 de junho de 1839, publicou seu primeiro livro, a tradução de “Queda que as Mulheres têm pelos Tolos”, em 1861. O primeiro livro de poesias, “Crisálidas”, saiu três anos depois e o primeiro romance, “Ressurreição”, foi publicado em 1872. Mais de um século depois, o escritor segue inabalável no topo dos grandes nomes da literatura brasileira e um dos mais importantes autores da língua portuguesa. Abaixo a bibliografia de Machado, segundo o site da Academia Brasileira de Letras.

-“Queda que as Mulheres têm para os Tolos” (tradução), 1861
-“Desencantos”, 1861
-“Teatro”, 1863
-“Quase Ministro”, 1864
-“Crisálidas”, 1864
-“Os Deuses de Casaca“, 1866
-“Falenas”, 1870

-“Contos Fluminenses“, 1870
-“Ressurreição”, 1872
-“Histórias da Meia-noite”, 1873
-“A Mão e a Luva”, 1874
-“Americanas”, 1875
-“Helena”, 1876
-“Iaiá Garcia”, 1878
-“Memórias Póstumas de Brás Cubas”, 1881
-“Tu, só tu, Puro Amor”, 1881
-“Papéis Avulsos”, 1882
-“Histórias sem Data”, 1884
-“Quincas Borba”, 1891
-“Várias Histórias”, 1896
-“Páginas Recolhidas”, 1899
-“Dom Casmurro”, 1899
-“Poesias Completas”, 1901
-“Esaú e Jacó”, 1904
-“Relíquias de Casa Velha”, 1906
-“Memorial de Aires”, 1908
-“Crítica”, 1910
-“Outras Relíquias”, 1910
-“Correspondência”, 1932
-“Crônicas”, 4 vols., 1937
-“Crítica Literária”, 1937
-“Casa Velha”, 1944

Audiolivros ganham espaço no país

Imagem: iconfinder.com

Matéria de “O Estado de SP” comenta a crescente movimentação do mercado de audiolivros no país. Segundo o jornal, a Ubook e a Tocalivros já vinham investindo na formação de catálogo desde 2014. Em meados do ano passado, o setor foi movimentado pela chegada dos players internacionais, inicialmente com o Google Play Livros. Neste ano de 2019 chegaram a canadense Kobo e, na semana passada, a sueca Storytel. A matéria cita ainda a Auti Books, plataforma criada pelas editoras Sextante, Record e Intrínseca, que soma 37 mil títulos comercializados em três meses de atividades. O próximo grande movimento esperado é a chegada da Audible, da Amazon, ao mercado local.

Novidades da Companhia

Foto: Blog da Companhia

Abaixo, os mais recentes lançamentos da Companhia das Letras e de outros selos do grupo.

“Prólogo, Ato, Epílogo”, de Fernanda Montenegro

Memórias da mais célebre atriz brasileira, de 90 anos e em plena atividade profissional.

“Em Plena Luz”, de Tércia Montenegro

Romance sobre fugas, violência, arte o poder transformador do amor.  

“Velhice Transviada”, de João Walter Nery (Objetiva)

Memórias do primeiro transgênero masculino brasileiro.

“Capitão Cueca – Vol. 6”, de Dav Pilkey (Companhia das Letrinhas)

“O Minotauro”, de Monteiro Lobato, ilustrado por Lole (Companhia das Letrinhas)

“O Instituto”, de Stephen King (Suma)

Novo livro do “mestre do terror” aborda a história de um grupo de crianças com talentos especiais.

O gato de Eliot

Curious Cat/Tozé Fonseca/Olhares – Fotografia Online

Do livro “T. S. Eliot – Poemas”, com tradução de Caetano W. Galindo para a edição da Companhia das Letras.

O Gato Bento se Apresenta

Eu era Pirata, singrei Sete Mar –

Mas se aposentei e piciso de grana;

Por isso cêis me acha aqui nesse lugar,

Cuidano da porta dum prédio bacana.

Apriceio cumê tudo os bicho da asa

E um leite bem gordo, no prato ou na cuia;

Aceito uns golinho pur conta da casa

E um pêxe sargado, dispois da patruia.

Sô meio grossero, sô meio sem jeito,

Mas cuido do pelo, ando tudo pimpão.

Os povo comenta, e pra mim tá perfeito:

“O Bento é direito, tem bão coração.”

Sufri coisas feia nos mar do estrangero,

A voz é orrive, num tenho talento;

Mas posso afirmá, e eu não sô de exagero,

Que tem umas moça que adora esse Bento.

Então, pra falá co chefão, o iditor,

Te dô essa dica, que é tudo que importa:

É muito mais útil, tem bem mais valor,

Fazê amizade co Gato da porta.

BENTO.

Cat Morgan Introduces Himself

I once was a Pirate what sailed the ‘igh seas –

But now I’ve retired as a com-mission-aire:

And that’s how you find me a-tankin’ my ease

And keepin’ the door in a Bloomsbury Square.

I’m partial to partridges, likewise to grouse,

And I favour that Devonshire cream in a bowl;

But I’m allus content with a drink on the ‘ouse

And a bit o’ cold fish when I done me patrol.

I ain’t got much polish, me manners is gruff,

But I’ve got a good coat, and I keep meself smart;

And everyone says, and I guess that’s enough:

‘You can’t but like Morgan, ‘e’s got a kind ‘ art.’

I got knocked about on the Barbary Coast,

And me voice it ain’t no sich melliferous horgan;

But yet I can state, and I’m not one to boast,

That some of the gals is dead keen on old Morgan.

So if you ‘ave business with Faber – or Faber –

I’ll give you this tip, and it’s worth a lost more:

You’ll save yourself time, and you’ll spare yourself labour

If jist you make friends with the Cat at the door.

MORGAN.