Lançamentos de Patti Smith em pré-venda

Já está em pré-venda, com lançamento no Brasil previsto para o próximo dia 28, o terceiro livro de memórias da roqueira Patti Smith, de 72 anos. Depois do elogiado “Só Garotos”, sobre sua vida e sua relação com o fotógrafo Robert Mapplethorpe na Nova York dos anos 60, e “M Train”, Smith lança agora “O Ano do Macaco”. O livro, segundo matéria do The New York Times, é “uma viagem picaresca” pelos sonhos e pela vida da autora na véspera de seus 70 anos e no meio de uma travessia pelos EUA fazendo shows.

Antes ainda do lançamento de “O Ano do Macaco”, chega às prateleiras “Devoção”. Também em pré-venda, “Devoção”, conforme a editora, é um livro “breve e delicado” onde Patti Smith oferece ao leitor “um relato íntimo de seu processo criativo – e uma reflexão poderosa sobre os mecanismos da escrita”.

Booker Prize 2019 vai para Atwood e Evaristo

Depois do Nobel de 2018, anunciado recentemente para a escritora polonesa Olga Tokarczuk, duas outras mulheres levaram um dos principais prêmios literários do mundo, o Booker Prize. Em rara decisão da Fundação responsável pelo prêmio, foram escolhidas duas vencedoras: a canadense Margaret Atwood, por “The Testaments” e a britânica Bernardine Evaristo, por “Girl, Woman, Other”. Em outro fato inédito, Evaristo é a primeira mulher negra a ser eleita na história da premiação, criada em 1968.

Hamlet por Geraldo Carneiro

Edição da L&PM, de 1997

Tem lançamento previsto para hoje, na Livraria Travessa, do Leblon, no Rio de Janeiro, a nova tradução de “Hamlet”, de Shakespeare. A edição sai pela Maneira Advogados e é assinada por Geraldo Carneiro, que já traduziu outras peças do autor como “A Tempestade” e sonetos diversos. Carneiro é poeta, dramaturgo, roteirista, letrista com músicas gravadas por nomes como Tom Jobim e Vinicius de Moraes, além de imortal da Academia Brasileira de Letras desde 2017.

As impressões de Camus

“Camus, o Viajante”, uma antologia de textos de Albert Camus (1913-1960) sobre o Brasil, organizada pelo jornalista Manuel da Costa Pinto e lançada pela Record, marca os 70 anos da visita do autor de “O Estrangeiro” e “A Peste” – vencedor do Nobel de 1957 – ao Brasil. Camus desembarcou na América do Sul dois anos depois da premiação. Ficou aqui entre junho e agosto de 1949, a maior parte do tempo no Brasil. Além de textos sobre o país, a antologia traz a conferência “O Tempo dos Assassinos”, que o escritor preparou para apresentar em diferentes cidades brasileiras e um encarte de fotos da viagem feita ao balneário de Iguape, no litoral de São Paulo, na companhia do escritor Oswald de Andrade.

Para ficar na memória

Foto: belohorizonte.mg.gov.br

Primeira edificação no estilo art déco da capital mineira, o Cine Theatro Brasil, inaugurado em 1932 e por muito tempo detentor do título de maior sala de cinema do país, é tema do livro “Na Cultura e na Memória da Cidade”, assinado por Vanessa Viegas Conrado e Luciana Ferron. O livro foi lançado recentemente e o conteúdo está disponível para download gratuito no endereço www.cinetheatrobrasil.com.br, com versões também em inglês e braile. Exemplares físicos serão distribuídos para bibliotecas, centros culturais e escolas. Ao longo de 87 anos, o Cine Brasil foi também palco de bailes, musicais e programas de TV, teatro, restaurante e bar. Hoje, o edifício é tombado pelo Patrimônio Histórico e Artístico Estadual e Municipal.