Os versos eternos de Bilac

Foto de Jheison Huerta no Salar de Uyuni, na Bolívia, eleita pela Nasa como “foto astronômica do dia”, em 22 de outubro, e publicada pelo site do El País

Via Láctea

Ora, direis, ouvir estrelas, certo

Perdeste o senso; e eu vos direi, no entanto

Que, para ouvi-las, muita vez desperto

E abro as janelas, pálido de espanto

E conversamos toda a noite, enquanto

A via-láctea, como um pálio aberto

Cintila; e, ao vir do Sol, saudoso e em pranto

Inda as procuro pelo céu deserto

Direis agora: Tresloucado amigo!

Que conversas com elas? Que sentido

Tem o que dizem, quando estão contigo?

E eu vos direi: Amai para entendê-las!

Pois só quem ama pode ter ouvido

Capaz de ouvir e de entender estrelas

Olavo Bilac (1865-1918).

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s