A poesia de Thomas Stearns Eliot

IV

They eyes are not here

There are no eyes here

In this  valley of dying stars

In this hollow valley

This broken jaw o four lose kingdoms

In the last of meeting places

We grope together

And avoid speech

Gathered on this beach of the tumid river

Sightless, unless

The eyes reappear

As the perpetual star

Multifoliate rose

Of death’s twilight kingdom

The hope only

Of empty men.

Foto: The British Library

Os olhos não estão aqui

Não há olhos aqui

Nesse vale de estrelas moribundas

Neste vale oco

Mandíbula partida de nossos reinos perdidos

Neste último dos pontos de encontro

Tateamos unidos

E calamos a fala

Reunidos na praia do túmido rio

Sem ver, a não ser

Que os olhos ressurjam

Como estrela perpétua

Multifoliada rosa

Do reino crepuscular da morte

Esperança apenas

De homens vazios.

Trecho do poema “Os Homens Ocos” (1925), do livro “T.S.Eliot – Poemas”, em edição da Companhia das Letras e tradução de Caetano W. Galindo.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s