Saraiva despejada

New York City Center, do grupo Multiplan

Em processo de recuperação judicial desde o ano passado, a rede de livrarias Saraiva, segundo nota do colunista Lauro Jardim (O Globo) foi notificada por mais uma ação de despejo. Dessa vez por parte de um centro de compras do Rio de Janeiro, o New York City Center. Segundo o jornalista, a Saraiva acumula uma dívida de R$ 650 mil em aluguéis atrasados com o centro comercial. O último relatório apresentado pelo administrador judicial da Saraiva dá conta de que 30 das 73 lojas da rede são objeto de ações de despejo na Justiça. A dívida total declarada pela rede, segundo a revista Exame, é de R$ 675 milhões.

Centenário José Mauro

Além de Clarice Lispector (10/12/1920) e João Cabral de Melo Neto (9/1/1920), o ano de 2020 marca também o centenário de nascimento de outro autor de clássicos da literatura brasileira: José Mauro de Vasconcelos (26/02/1920). Falecido aos 64 anos, teve uma biografia que foi além da atuação como escritor consagrado. Foi de treinador de boxe a garçom, passando por ator, modelo do escultor Bruno Giorgi e artista plástico. Seu maior best-seller, “O Meu Pé de Laranja Lima”, com mais de 2 milhões de cópias vendidas, segundo matéria assinada por Maria Fernanda Rodrigues, em O Estado de S. Paulo, ganhou edição especial há dois anos por ocasião dos 50 anos de seu lançamento. Agora, conforme a matéria, a Melhoramentos deve completar a coleção, com o lançamento de edições repaginadas das demais obras do autor.  

Abaixo a bibliografia de J. M. Vasconcelos, conforme a Wikipedia.

“Banana Brava” (1942)

“Barro Blanco” (1948)

“Longe da Terra” (1949)

“Vazante” (1951)

“Arara Vermelha” (1953)

“Arraia de Fogo” (1955)

“Rosinha, Minha Canoa” (1962)

“Doidão” (1963)

“O Garanhão da Praia” (1964)

“Coração de Vidro” (1964)

“As Confissões de Frei Abóbora” (1966)

“Meu Pé de Laranja Lima” (1968)

“Rua Descalça” (1969)

“O Palácio Japonês” (1969)

“Farinha Orfão” (1970)

“Chuva Crioula” (1972)

“O Veleiro de Cristal” (1973)

“Vamos Aquecer o Sol” (1974)

“A Ceia” (1975)

“O Menino Invisível” (1978)

“Kuryala: Capitão e Carajá” (1979)

Os mais ouvidos

Os dez audiolivros mais vendidos na Auti Books, plataforma que tem como sócios as editoras Sextante, Intrínseca, Record e o fundo de investimentos Bronze Ventures.

 –“O Último Desejo”, Andrzej Sapkowski – WMF Martins Fontes

“Como Fazer Amigos e Influenciar Pessoas”, Dale Carnegie – Sextante

“Duny: Meu Livro. Eu que Escrevi – Girls in the House”, Raony Philips – Intrínseca

“As Armas da Persuasão”, Robert B. Cialdini – Sextante

“Sapiens”, Yuval Noah Harari – L&PM

“Os Segredos da Mente Milionária”, T. Hary Eker – Sextante

“A Neurociência da Felicidade”, Rosana Alves – MK Books

“O Poder do Agora”, Eckhart Tolle – MK Books

“21 Lições para o Século 21”, Yuval Noah Harari – Companhia das Letras

“Atenção Plena – Mindfulness” – Danny Penman e Mark Williams – Sextante

A natureza efêmera de Frost

Giphy.com

Nature’s first green is gold
Her hardest hue to hold.
Her early leaf’s a flower;
But only so an hour.
Then leaf subsides to leaf.
So Eden sank to grief,
So dawn goes down to day.
Nothing gold can stay.

O primeiro verde da natureza é dourado,
Para ela, o tom mais difícil de fixar.
Sua primeira folha é uma flor,
Mas só durante uma hora.
Depois folha se rende a folha.
Assim o Paraíso afundou na dor,
Assim a aurora se transforma em dia.
Nada que é dourado fica.

Do poeta norte-americano, Robert Frost (1874-1963)

Os livros descartáveis

Notícia recente do Estadão Conteúdo dá conta de que o Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação, o FNDE ligado ao Ministério da Educação, estuda descartar livros didáticos (cerca de 2,9 milhões de exemplares, segundo a matéria) que nunca foram entregues aos alunos das escolas públicas. O principal motivo seria reduzir os custos com estoques armazenados em depósito alugado dos Correios, na Grande São Paulo.

A matéria lembra ainda uma avaliação recente do presidente da República sobre os livros didáticos como “péssimos” e com “muita coisa escrita”.