Para formar adultos melhores

Em tempos sombrios, quando a censura e a postura retrógrada das autoridades públicas do país rondam até mesmo os livros infantis, vale a pena resgatar lista de livros infanto-juvenis, de 2016, publicada pelo jornal espanhol El País, para “dar a largada em uma conversa franca com crianças sobre quase tudo”.

 –“A Democracia pode ser Assim”, Marta Pina – Boitempo

Aborda tema como o que são eleições, partidos políticos e a importância do voto, passando pelos direitos humanos e pela livre circulação de informação, que ajuda a manter as liberdades.  

“Migrar”, José Manuel Mateo – Pallas

Mostra a realidade de milhares de meninas e meninos que viajam a outro país, muitas vezes desacompanhados, em busca de trabalho ou de uma vida melhore e mais pacífica. Ilustrado pelo mestre mexicano Javier Martinez Pedro.

“O Pássaro Amarelo”, Olga de Dios – Boitempo

A partir da história de um pássaro impedido de voar, aborda temas como superação e compartilhamento de saberes.

“Frida Kahlo para Meninas e Meninos”, Nadia Fink – Sudestada

A pintora mexicana é retratada como a autêntica antiprincesa em livro que faz parte de coleção criada por editora argentina e é considerado ideal para debater temas como feminismo, luta de classes e arte.

“Quem Manda Aqui?”, Larissa Ribeiro, André Rodrigues, Paula Desgualdo e Pedro Markun – Companhia das Letrinhas

O livro é fruto de oficinas realizadas com crianças, onde foram compartilhadas, de maneira divertida, noções sobre modos de governar e tomar decisões.

“As Mulheres e os Homens”, Luci Gutiérrez – Boitempo

A máxima “meninas gostam de rosa e meninos, de azul” é descontruída de maneira divertida num livro que trata das questões de gênero.

“Lagartos Verdes x Retângulos Vermelhos”, Steve Antony – Rovelle

O livro propões uma reflexão sobre por que muitas vezes nos incomodamos com o que é diferente.

“O Pequeno Fascita”, Fernando Bonassi – Cosac Naify

Narra a vida de um menino, da barriga materna até se tornar líder da turma, operando pelo avesso, com um protagonista que só dá maus exemplos.

“Malala, a Menina que Queria ir para a Escola”, Adriana Carranca – Companhia das Letrinhas

Livro-reportagem sobre a garota paquistanesa, Nobel da Paz de 2013, com importantes lições de direitos humanos.

“A História de Julia – E sua Sombra de Menino”, Cristian Bruel, Anne Galand e Anne Bozellec – Scipione

Fala de gênero e identidade a partir da história de Júlia, criticada pelos pais, que sempre dizem que ela se parece com um menino e que deveria agir de maneira mais feminina.

“Um Outro País para Azzi”, Sarah Garland – Pulo do Gato

Aborda a história de uma família do Oriente Médio, que se vê obrigada a fugir quando a guerra começa a afetar sua rotina.

“El Abrazo”, David Grossman – Sexto Piso

O escritor israelense conta como um menino questiona sua mãe sobre ser “único no mundo”, atitude que o faz sentir solitário.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s