Camões eterno

Hoje, 10/06, celebra-se 440 anos da morte do autor da maior epopéia portuguesa de toda a história da literatura, “Os Lusíadas”. Pouco se sabe ao certo sobre a vida de Luís Vaz de Camões, mas presume-se que tenha morrido aos 56 anos. Aparentemente, nasceu em Lisboa e, embora não se tenha registros oficiais, teria frequentado a Universidade de Coimbra onde teria sido um aluno indisciplinado, mas ávido por conhecimento.

Camões é autor de vasta e reconhecida produção nos gêneros lírico, épico e teatral, mas foram os dez cantos e 1.102 estrofes num total de 8.816 versos decassílabos de “Os Lusíadas”, publicado pela primeira vez em 1572, que o consolidaram para sempre no panteão dos grandes nomes da literatura universal.

As armas e os barões assinalados
Que, da ocidental praia lusitana,
Por mares nunca de antes navegados
Passaram ainda além da Taprobana,
Em perigos e guerras esforçados,
Mais do que prometia a força humana,
E entre gente remota edificaram
Novo reino, que tanto sublimaram.

…..
Cantando espalharei por toda a parte,
Se a tanto me ajudar o engenho e arte.

— “Os Lusíadas”, Canto I

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s