O espetáculo dos colibris

Lançado este ano pela Editora Marte, “Beija-Flores do Brasil” é pauta de edição recente da revista Época. Com textos de Luís Fábio Silveira e ilustrações do mineiro de Ponte Nova, Eduardo Parentoni Bretas – considerado um dos melhores pintores de aves do país, o livro aborda a “dura vida” de uma ave que voa quase ininterruptamente durante todo o dia, atinge quase 80 quilômetros por hora e cujo coração alcança 1.200 batimentos por minuto. Para efeito de comparação , como lembra a matéria assinada por Ana Lucia Azevedo, o o coração humano bate de 60 a 100 vezes por minuto.

Para ilustrar todo o esplendor das 87 espécies encontradas na natureza brasileira, Bretas lançou mão de uma paleta composta por mais de 2 mil cores. Abaixo um “book trailer” do livro.

 

LivroArte

20171007_151134

Para saber um pouco mais sobre arte:

“Isso é arte?” –  Will Gomperty – Zahar

 “Arte Moderna” – Giulio Carlo Argan – Companhia das Letras

“Tudo sobre Arte” – Stephan Farthing e Richard Cork – Sextante

“A História da Arte” – E. H. Gombrich – LTC

“Iniciação à História da Arte” – H.W. Janson e Anthony F. Janson – Martins Fontes

“A Necessidade da Arte” – Ernst Fischer – LTC

Acesso livre no formato PDF

A História da Arte – E.H. Gombrich

Arquitetura e Arte no Brasil Colonial – John Bury

 

Da Vinci para abrir 2018

Estreando o “ano literário” com a biografia de Da Vinci, do jornalista e escritor norte-americano Walter Isaacson em edição da Íntrinseca. Uma abordagem da vida de um dos mais célebres personagens da nossa história sob a ótica da inovação. Isaacson mostra o que estava de fato por trás da “genialidade” de Leonardo e em ângulos pouco conhecidos mesmo para quem já leu outras biografias do autor da mais famosa obra de arte de todos os tempos. Para quem quer saber mais sobre o que estava por trás da genialidade de pinturas como “Virgem dos rochedos”, “Dama com arminho” ou mesmo da “Mona Lisa” e também para quem quer conhecer mais o gênio das artes mecânicas, da matemática, da física, da infinita curiosidade humana, enfim. Conforme lembra o biógrafo, Leonardo era também pintor.

O melhor resumo sobre isso está no trecho onde é mostrada a carta de Leonardo pedindo emprego a Ludovico Sforza, o todo-poderoso governante de Milão em meados do Século XV. Depois de listar pelo menos 10 habilidades pessoais todas no nível da excelência, acrescenta “além disso, também sei esculpir em mármore, bronze e argila. Da mesma forma, na pintura, posso fazer tudo que for possível tão bem quanto qualquer outro, não importa quem seja.”

 

Capa livro Da Vinci
Na categoria “Recomendo”