Livro para olhar

Uma obra mais para ser vista do que lida. Assim é descrito o livro lançado em edição fac-símile pela alemã Taschen, assinado pelo pintor Salvador Dali e comentado em matéria de Josimar Melo para a Ilustrada, do jornal FSP. “Les Dîners de Gala” foi lançado originalmente em 1973 e, além de ilustrações criadas por Dali – célebre também pelos banquetes oferecidos em sua casa na Catalunha – especialmente para o livro, apresenta 136 receitas “de uma velha cozinha francesa intrincada e ostentátoria”, segundo Josimar.

Quintana por Kobra

O celebrado grafiteiro paulista Eduardo Kobra acaba de retratar mais um grande nome da literatura nacional. Depois de pintar murais com Ariano Suassuna e Ferreira Gullar, foi a vez de Mario Quintana (1906-1994). O poeta ganhou um painel de 14 metros quadrados na parede externa do Colégio Farroupilha, na capital gaúcha. E vem mais. O próximo personagem do artista é Jorge Amado, que deve ganhar mural próprio ainda este ano, em Salvador.

Sem consenso

Uma pergunta que é feita desde sempre e que continua sem uma resposta unânime é o tema do livro Arte é o que Eu e Você Chamamos de Arte?, do crítico e historiador Frederico Morais. A obra, segundo noticia o Aliás, do Estadão, foi publicada originalmente em 1998 e acaba de ser reeditada pela Bazar do Tempo. O livro reúne 801 reflexões sobre a arte por figuras como Socrátes, São Tomás de Aquino e Leonardo da Vinci.

Abaixo três respostas registradas no livro e publicadas no artigo de André Cáceres no Estadão:

“A arte é a arte”

“Arte é um conceito estatístico. Se há gente suficiente que decide que uma coisa é arte, então é arte”

“Tudo é arte. Nada é arte”

O espetáculo dos colibris

Lançado este ano pela Editora Marte, “Beija-Flores do Brasil” é pauta de edição recente da revista Época. Com textos de Luís Fábio Silveira e ilustrações do mineiro de Ponte Nova, Eduardo Parentoni Bretas – considerado um dos melhores pintores de aves do país, o livro aborda a “dura vida” de uma ave que voa quase ininterruptamente durante todo o dia, atinge quase 80 quilômetros por hora e cujo coração alcança 1.200 batimentos por minuto. Para efeito de comparação , como lembra a matéria assinada por Ana Lucia Azevedo, o o coração humano bate de 60 a 100 vezes por minuto.

Para ilustrar todo o esplendor das 87 espécies encontradas na natureza brasileira, Bretas lançou mão de uma paleta composta por mais de 2 mil cores. Abaixo um “book trailer” do livro.

 

LivroArte

20171007_151134

Para saber um pouco mais sobre arte:

“Isso é arte?” –  Will Gomperty – Zahar

 “Arte Moderna” – Giulio Carlo Argan – Companhia das Letras

“Tudo sobre Arte” – Stephan Farthing e Richard Cork – Sextante

“A História da Arte” – E. H. Gombrich – LTC

“Iniciação à História da Arte” – H.W. Janson e Anthony F. Janson – Martins Fontes

“A Necessidade da Arte” – Ernst Fischer – LTC

Acesso livre no formato PDF

A História da Arte – E.H. Gombrich

Arquitetura e Arte no Brasil Colonial – John Bury