Bibliotecas digitais

Imagem publicada pelo site wiptech

Outra boa dica para o momento são as bibliotecas digitais como a Biblioteca Nacional Digital (bndigital.bn.gov.br), com um acervo de cerca de 2,1 milhões de documentos de livre acesso, e o portal dominiopublico.gov.br, com acesso gratuito à inúmeras obras que já perderam as limitações dos direitos autorais. Tem da obra completa de Machado de Assis a Fernando Pessoa, de literatura infantil a obras de Joaquim Nabuco e clássicos de Shakespeare. Segundo estatísticas do próprio site, com cerca de 1,5 milhão de downloads, a edição em português de “A Divina Comédia”, de Dante Alighieri, é a obra mais acessada do acervo.

Outras bibliotecas digitais, conforme sugestão do portal wiptech.com.br:

Biblioteca Digital Unicamp

http://www.bibliotecadigital.unicamp.br/

Biblioteca Digital Brasiliana Mindlin

https://digital.bbm.usp.br/handle/bbm/1

Biblioteca Digital Brasileira de Teses e Dissertações

http://bdtd.ibict.br/vufind/

Repositório UFMG

https://repositorio.ufmg.br/

A biblioteca que vai encolher em Brasília

Imagem: biblioteca.presidencia.gov.br

A semana passada foi encerrada com a notícia de que a Biblioteca da Presidência da República, criada no governo do presidente Wenceslau Brás (1914-1918), vai ceder metade do seu espaço no prédio anexo ao Palácio do Planalto para receber a equipe do Programa Nacional de Incentivo ao Voluntariado, o Pátria Voluntária, coordenado pela primeira-dama, Michelle Bolsonaro. A biblioteca tem um acervo de 42 mil itens, incluindo três mil discursos de presidentes da República, obras de Direito, Economia e Administração. É aberta ao público, de segunda a sexta-feira.

Nota da Secretaria Geral da Presidência garante que “100% do acervo físico será preservado, em condições técnicas adequadas”. A Secretaria afirma ainda que, mesmo com a reforma, há espaço para a ampliação do acervo da biblioteca.

Tesouros de grandes colecionadores

Parte do acervo da BMA, em foto publicada no site do Projeto São Paulo City

Para quem estiver em SP até o próximo dia 12 de dezembro a dica é a exposição “Grandes Colecionadores”, aberta hoje (3/10) na Biblioteca Mário de Andrade. A mostra reúne exemplares da trajetória pessoal de bibliófilos que doaram ou venderam suas coleções para a instituição e pode ser vista diariamente das 10h às 19h. Entre outras inúmeras raridades, os visitantes poderão conhecer acervos de nomes como o Barão Homem de Mello (1837-1918), Paulo Prado (1869-1943) e Otto Maria Carpeaux (1900-1978). Conforme notícia de ” O Estado de SP”, do jornalista e ensaista Carpeaux, por exemplo, estará em exibição a edição bilíngue com poemas de Carlos Drummond de Andrade organizada por Hans Magnus Enzensberger e publicada em 1965 pela alemã Suhrkamp.

Fundada em 1925 a partir do acervo da Câmara Municipal, a “Mário de Andrade” é a principal biblioteca pública da cidade de São Paulo e conta com um patrimônio de cerca de 3,3 milhões de títulos, além de um amplo conjunto de manuscritos, incunábulos (obras que imitavam manuscritos e foram impressas nos primórdios da impressão com tipos móveis), gravuras e mapas, entre outros itens raros.