Fãs de Joyce comemoram o Bloomsday 2019

Imagem: The Octopus Literary Salon

Data comemorada desde 1924, o Bloomsday mobiliza hoje leitores de Joyce no mundo inteiro – inclusive em cidades brasileiras como São Paulo e Florianópolis – em torno de uma série de atividades que vão de palestras à exibição de filmes e apresentações de música irlandesa. 16 de junho é o dia em que, em 1904, o personagem Leopold Bloom realiza uma viagem de um dia por Dublin na história de “Ulysses”, escrito por James Joyce e considerado um dos mais importantes romances do Século XX.

Cortázar em nova edição

Chega às lojas no próximo dia 7, uma nova edição em português, pela Companhia das Letras, de “O Jogo da Amarelinha”, do argentino Julio Cortázar. Com tradução de Eric Nepomuceno e projeto gráfico de Richard McGuire, a nova edição, além do texto original, traz cartas relativas à obra, algumas do próprio Cortázar e textos de Haroldo de Campos, Mario Vargas Llosa, Davi Arrigucci Jr. e Julio Ortega sobre o livro, um clássico da literatura latino-americana, escrito em Paris e publicada pela primeira vez na Espanha em outubro de 1963.

Clássico do existencialismo de volta pela Nova Fronteira

Marco inaugural do existencialismo, “A Náusea”, do francês Jean-Paul Sartre (1905-1980), está de volta em nova e caprichada edição da Nova Fronteira. Lançada em 1938, a obra tem como protagonista Antoine Roquentin, intelectual pequeno-burguês, símbolo de uma geração que descobre, horrorizada, a ausência de sentido da vida. Sartre venceu (e recusou) o Nobel de 1964.

“aprendi que se perde sempre. Só os salafrários pensam que ganham.”

Trecho de “A Náusea”.

Sai, na Alemanha, edição com a versão original do Diário de Anne Frank

Diário original exibido na Casa de Anne Frank, em Amsterdã. Foto: Reuters

Matéria da Deutsche Welle, publicada em português pela Folha de SP, informa que foi lançada, na Alemanha, uma nova edição do Diário de Anne Frank. É a primeira vez que uma versão original da obra, sem os retoques feitos pela própria Anne e por seu pai, é publicada. A nova edição, segundo a matéria, foi idealizada pela especialista em Literatura, Laureen Nussbaum, de 91 anos, uma sobrevivente do Holocausto que conheceu pessoalmente a autora.

 É a terceira versão da obra. A primeira, ora publicada, começou a ser escrita espontaneamente enquanto a família de Anne estava escondida dos nazistas em Amsterdã. Depois de escutar em uma rádio uma chamada para documentar o sofrimento dos judeus holandeses, a jovem reescreveu parcialmente seu diário com a esperança de ver o texto publicado depois da Guerra, resultando na segunda versão de seu diário.

Depois de sua morte, aos 15 anos, no campo de concentração de Bergen-Belsen, provavelmente de tifo, e do fim da Guerra, o pai de Anne publicou uma terceira versão do Diário, uma mistura do livro original com a segunda versão, retocada por Anne, e posteriormente pelo próprio pai.

Hoje o livro é uma das obras mais populares em todo o mundo sobre o tema nazismo e a casa onde a família se escondeu uma das principais atrações turísticas de Amsterdã.

A transformação de Gregor

Detalhe de obra do pintor Lucien Freud

“Ao despertar de um sonho inquieto, certa manhã, Gregor descobriu que havia se transformado num gigantesco inseto. Achava-se deitado sobre a dura carapaça que lhe cobria as costas, semelhando uma couraça, e quando ergueu um pouco a cabeça pôde ver o seu ventre, escuro, ao feitio de uma cúpula e sulcado por rígidos segmentos em forma de arco, de cujo topo a colcha, em precário equilíbrio, ameaçava escorregar. Suas numerosas pernas, lastimosamente finas se comparadas com o volume de seu corpo, agitavam-se desamparadamente diante de seus olhos.”

Trecho inicial de “A Metamorfose”, de Franz Kafka (1883-1924). O livro, lançado há 104 anos, embora concluído em 20 dias, tornou-se o texto mais conhecido e citado do autor. Abaixo outras obras de Kafka disponíveis em português.

“Carta a Meu Pai”

“América”

“Contos Escolhidos”

“A Muralha da China”

“Cartas a Milena”

“A Colônia Penal”

“O Processo”

“O Castelo”

“Diários”

“O Covil”