Os imperdíveis, segundo Stephen King

A lista de sugestões dessa vez é de filmes, mas indicados por um escritor e mestre supremo no assunto. Em matéria publicada em O Globo, Stephen King, ele mesmo autor de alguns vários livros que se tornaram filmes clássicos do gênero – “O Iluminado”, “Carrie, a Estranha” e “It: a Coisa”, elencou cinco longas-metragens imperdíveis de terror.

“A Bruxa de Blair”, Daniel Myrick e Eduardo Sánchez – 1999

“Alien, o Oitavo Passageiro”, Ridley Scott – 1979

“O Exorcista”, William Friedkin – 1973

“Despertar dos Mortos”, George A. Romero – 1978

“Os Filhos do Medo”, David Cronenberg – 1979

Em busca de sentido

Mereceu nota AA+ (Alta Qualidade) do caderno Eu&Fim de Semana, do Valor Econômico, o livro “Knulp”, do alemão Hermann Hesse (1877-1962). A obra, que teve reedição em português lançada pela Todavia em abril passado, conta a história de um jovem andarilho que perambula de cidade em cidade em busca de autoconhecimento e sentido para a vida. Publicado originalmente em 1915, “Knulp” foi inspiração para várias gerações de leitores e ainda hoje, segundo o artigo de Fabricio Vieira publicado no jornal, “mantém sua força narrativa e certo frescor, em especial neste pandêmico 2020, quando vagar sem destino ou compromisso parece algo tão distante e improvável”.

Salinger em e-books

Para quem já aderiu aos livros eletrônicos, a dica é o lançamento, também neste formato, de três obras de J. D. Salinger, que a editora Todavia acaba de disponibilizar. Além do clássico “O Apanhador no Campo de Centeio”, estão disponíveis também “Nove Histórias” e “Franny & Zooey”. Segundo nota do colunista da Folha, Maurício Meireles, “Levantem Bem Alto a Viga” e “Carpinteiros & Seymour – Uma Introdução” devem sair no mesmo formato no ano que vem.

Vinhos e livros

Para quem tem o privilégio do acesso à boa leitura e aos bons vinhos, a dica vem de matéria assinada por Solemar Oliveira e Lauriene Santin, da Revista Bula, que conseguiram “harmonizar” livros e Chardonnays, Malbecs e Pinot Noirs. Matéria completa no link https://www.revistabula.com/31948-10-livros-e-10-vinhos-uma-harmonizacao/.

“O Túnel”, Ernesto Sabato

Obra Prima Colecction, Gran Reserva, Malbec, 2008

“Cem Anos de Solidão”, Gabriel García Marquez

Carpe Diem, Tierra Roja, 2014

“Dom Casmurro”, Machado de Assis

Cadus, Blend de Alturas, Malbec, 2013

“Orgulho e Preconceito”, Jane Austen

Robert Mondavi, Private Selection, Zinfandel, California, 2016

“Lavoura Arcaica”, Raduan Nassar

Dom Laurindo, Gran Reserva, 2005

“O Mal de Montano”, Enrique Vila-Matas

François de Lurton, Clos de Lolol, 2013

“O Estrangeiro”, Albert Camus

Blason de Bourgogne, Bourgogne, Pinot Noir, 2015

“Pergunte ao Pó”, John Fante

Ménage à Trois Gold, Chardonnay, 2015

“O Morro dos Ventos Uivantes”, Emily Brontë

Milla Cala, VIK, Cabernet Sauvignon, Carménère, Cabernet Franc, 2012

“Meridiano de Sangue”, Cormac McCarthy

Intrépido, Syrah, Pirineus, 2015

Novas dicas para enfrentar a quarentena

Abaixo, nova seleção de títulos “para enfrentar a quarentena”, dessa vez produzida por jornalistas da Folha de São Paulo. São 50 dicas de prosa, poesia, filosofia, clássicos e mais.

Francesca Angiolillo – repórter especial

-“Drummond – Nova Reunião” – Companhia das Letras

“Poemas”, Wyslawa Szymborska – Companhia das Letras

“Coração de Boi”, Ana Estaregui – Ed. 7Letras

“Caderno de Memórias Coloniais” – Isabela Figueiredo – Todavia

“Minha Casa é Onde Estou”, Igiaba Scego – Ed. Nós

“A Filha Perdida”, Elena Ferrante – Intrínseca

“Laços”, Domenico Starnone – Todavia

“Anna Kariênina”, Liev Tolstói – Companhia das Letras

“A História do Caminhar”, Rebecca Solnit – Martins Fontes

“A Cidade”, Massimo Cacciari – Ed. Gustavo Gili

Ivan Finotti – Repórter especial

“O Problema dos Três Corpos”, Cixin Liu – Ed. Suma

“O Príncipe”, Nicolau Maquiavel

“Operação Abafa”, Ronan Farrow – Todavia

 –“Apropos of Nothing”, Woody Allen  – Ainda sem tradução para o português

“A Louca do Sagrado Coração”, Alejandro Jodorowsky e Moebius – Ed. Veneta

“Raul Seixas – Não Diga que a Canção Está Perdida”, Jotabê Medeiros – Todavia

“O Pêndulo de Foucault”, Umberto Eco – Record

“Tabloide Americano”, James Ellroy – Record

“Nada de Novo no Front”, Erich Maria Remarque – L&PM

“Knulp”, Hermann Hesse – Todavia

 Maurício Meireles – Colunista 

“Vastas Emoções e Pensamentos Imperfeitos”, Rubem Fonseca – Agir

“No Campo de Honra e Outros Contos”, Isaac Bábel – Ed. 34

“Rua dos Artistas e Arredores”, Aldir Blanc – Ed. Mórula

“O Complexo de Portnoy”, Philip Roth – Companhia das Letras

“Austerlitz”, W. G. Sebald – Companhia das Letras

“Ficções”, Jorge Luis Borges – Companhia das Letras

“Primeiras Estórias”, Guimarães Rosa – Global

“Karen”, Ana Teresa Pereira – Todavia

“Lojas de Canela e Outras Narrativas”, Bruno Schulz – Ed. 34

“Léxico Familiar”, Natalia Ginzburg – Companhia das Letras

Úrsula Passos – Coordenadora do Clube de Leitura da Folha

“A Revolta da Vacina”, Nicolau Sevcenko, Unesp

“A Imperatriz de Ferro”, Jung Chang – Companhia das Letras

“O Xá dos Xás”, Ryszard Kapuscinski – Companhia das Letras

“Confissões”, Santo Agostinho – Penguin

“Meditações Metafísicas”, René Descartes – Martins Fontes

“Uma Vida Pequena”, Hanya Yanagihara – Record

“História da Violência”, Édouard Louis – Tusquets

“O Senhor do Lado Esquerdo”, Alberto Mussa – Record

“Tudo o que Nunca Contei”, Celeste Ng. – Intrínseca

“Harry Potter e a Pedra Filosofal”, J. K. Rowling – Rocco

Walter Porto – Jornalista

“O Alienista”, Machado de Assis

“O Bem-Amado”, Dias Gomes – Bertrand Brasil

“Bom Dia, Tristeza”, Françoise Sagan – BestSeller

-“Como se Estivéssemos em Palimpsesto de Putas”, Elvira Vigna – Companhia das Letras

“O Espião que Saiu do Frio”, John le Carré – Record

“Fama e Anonimato”, Gay Talese – Companhia das Letras

“Jorge Amado: Uma Biografia”, Joselia Aguiar – Todavia

“Santa Evita”, Tomás Eloy Martinez – Companhia das Letras

“Sobre a Beleza”, Zadie Smith – Companhia das Letras

“O Xará”, Jhumpa Lahiri – Biblioteca Azul