Para ler mais

 Seis dicas para ler mais e mais rápido. Do site manualdohomemmoderno.

-Reserve um tempo no dia para ler (e pratique)

Não fique esperando a hora certa para ler. Faça da leitura uma atividade comum no seu dia.

-Tenha mais livros disponíveis para ler do que consegue

Ter em mãos opções de leitura pode fazer você ganhar gosto.

-Tenha um clube de assinatura de livros

Todos os meses um curador indica um livro surpresa que pode te estimular a ler mais.

-Leia mais de um livro por vez

Aposte em duas ou três opções de áreas e estilos diferentes para ler mais.

-Comprometa-se a ler um número fixo de páginas antes de desistir de um livro

A narrativa pode demorar a te envolver, por isso, a sugestão é adotar a regra das 50 páginas.

-Leve sempre um livro com você

Momentos de espera e de ócio podem ser recheados com leituras.

Essenciais de novembro

A cada final de mês, o Aliás, do Estadão, vem publicando a lista dos títulos “essenciais” do período. Abaixo os selecionados de novembro.

“Rasputin”, Douglas Smith – Companhia das Letras

Biografia do monge que se tornou uma das figuras mais próximas do czar Nicolau II, da Rússia.

“Hesse, The Wanderer and his Shadow”, Gunnar Decker – Harvard

Biografia do escritor alemão Herman Hesse. Em inglês. 

“Grimm”, Jacob e Wilhelm Grimm – Editora 34

Coletânea de fábulas dos irmãos Grimm.

“Tchekhov e os Palcos Brasileiros”, Rodrigo do Nascimento – Perspectiva

Aborda as montagens feitas no Brasil das peças do dramaturgo russo.

“Morrer Sozinho em Berlim”, Hans Fallada – Estação Liberdade

Romance pioneiro ao abordar, em 1947, a vida real de um casal de operários na Alemanha de Hitler.

“As Horas Vermelhas”, Leni Zumas – Planeta

Segundo romance da autora americana tida como uma das mais promissoras do país.

“O Ano do Dilúvio”, Margaret Atwood – Rocco

Segundo livro de uma trilogia que inclui ainda “Oryx e Crake” e “MaddAdão”.

“O Amor, esse Obstáculo”, Micheliny Verunschk  – Patuá

Misto de romance histórico, realismo mágico e prosa poética.

“Beren e Lúthien”, J. R. R. Tolkien – Harper Collins

Um dos poucos escritos inéditos do criador de “O Senhor dos Anéis”, surgiu no rastro da reedição da sua obra completa.

“O Portão do Obelisco”, N. K. Jemisin – Morro Branco

O livro rendeu  um dos três prêmios “Hugo” – o mais importante da área de literatura fantástica – recebidos sequencialmente pela escritora.

Dicas de Hemingway

Ernest Hemingway (1899 – 1961) em foto publicada pela revista Time.

Sete dicas (resumidas) de Hemingway para escrever um livro de ficção comentadas pelo blogueiro Carlos Willian Leite, da Revista Bula, a partir de lista original do site Open Culture.

“Para começar, escreva uma frase verdadeira”Cortar arabescos e ornamentos, jogá-los fora e começar com uma frase simples, verdadeira e declarativa.

“Sempre encerre o dia (de trabalho) quando você ainda sabe oque vai acontecer depois” – A melhor maneira é sempre parar quando você vai indo bem e quando ainda sabe o que vai acontecer a seguir.

“Nunca pense na história quando você não estiver trabalhando nela” – Se você pensar nela conscientemente ou se preocupar com ela, vai mata-la, e seu cérebro vai estar cansado antes de você começar.

“Quando for hora de voltar ao trabalho, sempre comece lendo o que você já escreveu até então”Quando o texto ficar longo demais para reler desde o começo, releia pelo menos os dois ou três capítulos anteriores.

“Não descreva uma emoção, crie uma”Identifique a ação ou sensação concreta que causou a emoção e a apresente em sua história corretamente e de forma convincente. Seus leitores deverão sentir a mesma coisa.

“Use um lápis”É mais uma oportunidade de reler e melhorar o texto ao datilagrafá-lo.  

“Seja breve”.

Lembretes

bookcase books bookshop bookstore
Foto por Pixabay em Pexels.com

Para cuidar dos livros.

Seleção de dicas da blogueira Angélica Pina, do universodosleitores.com.

– Regra básica: livros devem sempre ser colocados em posição vertical.

– Manter distância da parede para que haja ventilação.

– Luz direta do sol desbota as capas dos livros e também pode deformá-los.

-Livros (e prateleiras) precisam ser limpos periodicamente.

-Não “encape” livros com plástico.

-Folheie livros guardados há muito tempo, para evitar o ressecamento das folhas.

-Nunca molhe a ponta do dedo para virar as páginas. A prática pode manchar as folhas.

-Não deixe clipes metálicos marcando páginas. Eles podem enferrujar e corroer o papel.

-Não utilize as orelhas do livro para marcar a leitura. Isso danifica a capa.

Para interagir com as crianças

Boa dica do blog “Era Outra Vez”, de Bruno Molinero, no Uol, para pais e filhos: “De Novo” e “Muito Esquisito”, do autor e artista gráfico Gustavo Piqueira. O primeiro conta com seis livretos, cada um com quatro folhas dobradas em locais diferentes e costuradas entre si. No “Muito Esquisito”, lançado pela editora Pulo do Gato e mais voltado para as crianças, Piqueira ilustra poemas de Alexandre Brito sobre animais imaginários. Abaixo vídeo do “De Novo”, que saiu pela Lote 42.