Sem consenso

Uma pergunta que é feita desde sempre e que continua sem uma resposta unânime é o tema do livro Arte é o que Eu e Você Chamamos de Arte?, do crítico e historiador Frederico Morais. A obra, segundo noticia o Aliás, do Estadão, foi publicada originalmente em 1998 e acaba de ser reeditada pela Bazar do Tempo. O livro reúne 801 reflexões sobre a arte por figuras como Socrátes, São Tomás de Aquino e Leonardo da Vinci.

Abaixo três respostas registradas no livro e publicadas no artigo de André Cáceres no Estadão:

“A arte é a arte”

“Arte é um conceito estatístico. Se há gente suficiente que decide que uma coisa é arte, então é arte”

“Tudo é arte. Nada é arte”

Fragmentos de volta

Escrito em 1977 pelo filósofo estruturalista francês, Roland Barthes, e até então fora de catálogo no Brasil, “Fragmentos de um Discurso Amoroso” ganha nova edição pela Unesp, com tradução de Hortênsia Santos. Conforme assinala nota do Ilustríssima, da Folha, “o livro divide-se em dezenas de termos, cada um deles com universo próprio, buscando explicar a experiência do amor e o sujeito apaixonado a partir do ponto de vista da linguagem”.

Novos ensaios de Franzen

Acaba de sair em português, de Portugal, o novo livro do norte-americano Jonathan Franzen, “O Fim do Fim da Terra”, lançado lá pela Dom Quixote. “O Fim…” é um conjunto de ensaios escritos por Franzen, em sua maior parte, nos últimos cinco anos abordando temas como o complexo relacionamento com o tio quando jovem adulto em NY e outros como 
alterações climáticas, redes sociais, tecnologia e consumismo.

Por aqui, aparentemente, não há, ainda, anúncio de data para lançamento. No site da Companhia das Letras não há menção ao novo título. Abaixo obras do autor lançados no Brasil pela editora. 

“Pureza”, 2016

“Tremor”, 2012

“Como Ficar Sozinho” (Ensaios), 2012

“As Correções” (Ed. econômica), 2011

“Liberdade”, 2011

“A Zona do Desconforto – Uma História Pessoal”, 2008

Pollan psicodélico

Autor conhecido por aqui com títulos como “O Dilema do Onívaro” e “Cozinhar – Uma História Natural da Transformação”, Micahel Pollan está com novidade na praça. Dessa vez, o renomado jornalista e ativista da alimentação saudável, investiga os novos usos de drogas como o LSD ou a psilocibina no tratamento de depressão, vício e ansiedade associada ao câncer. O livro “Como Mudar Sua Mente” (“How to Change Your Mind”, no original) tem edição em português da Intrínseca.

Conforme o site da editora, a nova obra de Pollan conta a história do renascimento das pesquisas com compostos alucinógenos depois de anos de coibição e esquecimento.  “Em uma impressionante jornada de caráter tanto científico quanto pessoal, Pollan mergulha nos mais diversos estados da consciência e apresenta os progressos que essas substâncias trazem para os estudos mais recentes da neurociência, revelando que os benefícios terapêuticos das substâncias psicodélicas são indissociáveis das experiências de transcendência proporcionadas por elas.”