Lançamentos de Patti Smith em pré-venda

Já está em pré-venda, com lançamento no Brasil previsto para o próximo dia 28, o terceiro livro de memórias da roqueira Patti Smith, de 72 anos. Depois do elogiado “Só Garotos”, sobre sua vida e sua relação com o fotógrafo Robert Mapplethorpe na Nova York dos anos 60, e “M Train”, Smith lança agora “O Ano do Macaco”. O livro, segundo matéria do The New York Times, é “uma viagem picaresca” pelos sonhos e pela vida da autora na véspera de seus 70 anos e no meio de uma travessia pelos EUA fazendo shows.

Antes ainda do lançamento de “O Ano do Macaco”, chega às prateleiras “Devoção”. Também em pré-venda, “Devoção”, conforme a editora, é um livro “breve e delicado” onde Patti Smith oferece ao leitor “um relato íntimo de seu processo criativo – e uma reflexão poderosa sobre os mecanismos da escrita”.

Hamlet por Geraldo Carneiro

Edição da L&PM, de 1997

Tem lançamento previsto para hoje, na Livraria Travessa, do Leblon, no Rio de Janeiro, a nova tradução de “Hamlet”, de Shakespeare. A edição sai pela Maneira Advogados e é assinada por Geraldo Carneiro, que já traduziu outras peças do autor como “A Tempestade” e sonetos diversos. Carneiro é poeta, dramaturgo, roteirista, letrista com músicas gravadas por nomes como Tom Jobim e Vinicius de Moraes, além de imortal da Academia Brasileira de Letras desde 2017.

As impressões de Camus

“Camus, o Viajante”, uma antologia de textos de Albert Camus (1913-1960) sobre o Brasil, organizada pelo jornalista Manuel da Costa Pinto e lançada pela Record, marca os 70 anos da visita do autor de “O Estrangeiro” e “A Peste” – vencedor do Nobel de 1957 – ao Brasil. Camus desembarcou na América do Sul dois anos depois da premiação. Ficou aqui entre junho e agosto de 1949, a maior parte do tempo no Brasil. Além de textos sobre o país, a antologia traz a conferência “O Tempo dos Assassinos”, que o escritor preparou para apresentar em diferentes cidades brasileiras e um encarte de fotos da viagem feita ao balneário de Iguape, no litoral de São Paulo, na companhia do escritor Oswald de Andrade.

Drummond inédito

Abaixo, um dos três poemas inéditos de Carlos Drummond de Andrade, publicados na última edição do caderno “Ilustríssima”, do jornal FSP. Os poemas fazem parte de “Correspondência: Carlos Drummond de Andrade e Ribeiro Couto”, que acaba de ser lançado pela Editora Unesp. O livro foi organizado por Marcelo Bortoloti e reúne cartas trocadas entre os dois escritores, além de poemas enviados por Drummond para a apreciação de Couto, alguns deles publicados em jornais e outros inéditos. 

Choque

Tomei o bonde.
Sentei.
Abri o jornal.
Cacete.
Olhei à toa.
Anúncios ilustrados
apregoavam utilidades.
Foi então que encontrei
nos vimos
e intimamente nos amamos.
Me olhou só.
Não foi mais do que isso
nem lhe pedi mais.
Não a bolinei.
Não nos despedimos.
Até hoje não tornei a vê-la
não sei se a verei nunca.
Não foi mais do que isso.
Foi muito pouco
e foi tudo.

Os homens e os animais pelo olhar de McCurry

Foto de Steve McCurry (EUA/1950), do livro “Animals”, em pré-venda na Amazon. O fotógrafo é autor, entre outros trabalhos célebres, da foto da menina afegã que ilustrou a capa da revista National Geographic, de junho de 1985. A imagem de seu rosto com um tecido enrolando sua cabeça e seus olhos verdes olhando diretamente para a câmera, tornou-se mundialmente conhecida como um símbolo do conflito entre afegãos e da situação dos refugiados. A imagem acima foi feita em Kathmandu, no Nepal, em 2013.