Livro eletrônico gratuito com texto inédito de Harari

A Companhia das Letras traduziu e liberou há pouco texto publicado recentemente pelo historiador e escritor israelense Yuval Noah Harari na revista Time. Em “Na Batalha Contra o Coronavírus, Faltam Líderes à Humanidade”, Harari, autor de best-sellers como “Homo Sapiens” e “Homo Deus” e considerado um dos principais pensadores contemporâneos, faz uma defesa da cooperação entre povos e nações no combate às pandemias e a outros males. Com 26 páginas, o e-book pode ser adquirido gratuitamente, entre outras plataformas, no site da Amazon.

A poesia breve de Alice Ruiz ganha novo título

A partir do próximo dia 16 chega às lojas o novo livro de Alice Ruiz, dessa vez em parceria com o também poeta e ensaísta paulistano Rodolfo Witzig Guttilla. “Amorhumorumor: Haikai & Senryu” é um conjunto de poemas breves que resgata as formas japonesas clássicas construídas por três versos. A edição é da Companhia das Letras e o livro já está em pré-venda na Amazon.

Nova biografia de Beavouir já em pré-venda

Com lançamento previsto para o próximo dia 7 e já em pré-venda na Amazon, está chegando às prateleiras do país “Simone de Beauvoir: Uma Vida”, de Kate Kirkpatrick. O livro, já lançado em vários países, traz material inédito, só disponibilizado em 2018, sobre um dos maiores símbolos mundiais da mulher liberada, que manteve relacionamentos não-convencionais que escandalizaram sua geração. Filósofa, escritora e ícone feminista global, Beauvoir (1908-1986) se tornou célebre também pelo lendário caso de amor com o pai do existencialismo, o também filósofo Jean-Paul Sartre. Entre outros títulos disponíveis em português, é autora de “A Convidada” (1943), “O Segundo Sexo” (1949), “Os Mandarins” (1954), “Memórias de uma Moça Bem Comportada” (1958) e “A Mulher Desiludida” (1967).

Giannotti coteja Martin e Ludwig

Saindo, pela Companhia das Letras, Heidegger/Wittgenstein – Confrontos, uma obra combativa, segundo apresentação da editora, que põe no ringue dois dos principais filosófos do século passado. Assinado pelo professor emérito da Universidade de São Paulo, José Arthur Giannotti, o livro aborda os confrontos e as surpreendentes proximidades entre o intelectual alemão e o austríaco, naturalizado britânico. O primeiro é associado a uma vertente fundacionista da filosofia, na qual a pergunta pelo ser – por seu significado, por seu fundamento – tem papel de destaque. Já para Wittgenstein, a pergunta pelo fundamento deve ser substituída pelas condições em que se dá a pergunta.

Um romance musical

A dica vem do Caderno2, do Estadão, que em edição recente entrevistou o escritor, considerado um dos principais nomes da nova ficção americana, Paul Beatty, autor de “Slumberland – A Batida Perfeita” e vencedor do Man Booker Prize e do National Book Critic Circle Award. O livro, lançado originalmente em 2011, foi publicado pela primeira vez em português no ano passado pela Todavia, com tradução de Rogerio Galindo.

Um livro sobre amor, sexo e raça, que tem como protagonista Ferguson Sowell, um músico que acabou de compor a batida perfeita. Especialista em trilhas sonoras para o cinema pornô, ele finalmente chegou ao que chama de sua Mona Lisa: uma batida que resume a própria existência humana. “Mas ainda falta algo para que ele atinja os píncaros da imortalidade artística: uma colaboração do jazzista Charles Stone, que desapareceu na Alemanha nos anos 1960. Sua única pista o leva a Berlim e ao bar Slumberland”, assinala nota de apresentação da editora.