Editora Planeta lança releitura de mito grego

A boa dica de lançamento vem de matéria da jornalista e tradutora Marina Della Valle, no Eu&Fim de Semana, do Valor. É “Circe”, de Madeline Miller, autora americana de outra releitura de sucesso de histórias da mitologia grega, “A Canção de Aquiles“, tratando da relação do herói da “Ilíada” com Pátroclo e lançado aqui editora Jangada.

“Circe” traz uma nova abordagem da “feiticeira perigosa, que transforma homens em porcos e lida com rejeições amorosas da mesma maneira que outras divindades, distribuindo terríveis vinganças”.

Todavia é a nova editora de Salinger no Brasil

Conforme notícia recente da Folha de São Paulo, J. D. Salinger, autor do clássico “O Apanhador no Campo de Centeio” terá nova editora no Brasil. Depois de anos com sua obra publicada por aqui pela Editora do Autor e pela L&PM, a nova casa do escritor no país será a Todavia. A primeira reedição, do “Apanhador”, sai no próximo mês de junho com a capa da edição original americana, de 1951, e tradução de Caetano W. Galindo.

Ellis lança livro de ensaios

Ellis em foto do The New York Times

Depois de uma lacuna de nove anos, o escritor americano Bret Easton Ellis (1964) lança, no próximo dia 16, sua primeira obra de não-ficção, o livro de ensaios “White”. A informação é do The New York Times em matéria traduzida e publicada pelo Estadão.

Ellis, autor do célebre “Psicopata Americano”, de 1991, ganhou fama mundial com seu livro de estreia “Less Than Zero” (“Menos que Zero” na edição em português), de 1985. Segundo a matéria, “sua ficção violentamente niilista e sua persona pública politicamente incorreta têm lhe valido tanto aclamações quanto fúria. Após três décadas de carreira, com cinco romances, uma coleção de contos, um podcast e sucessivas polêmicas na mídia, Ellis ainda tem o que dizer”.

Vonnegut de volta

Título clássico da literatura contemporânea, até então disponível no Brasil apenas em uma edição de bolso da L&PM, Matadouro 5, de Kurt Vonnegut (1922-2007) acaba de ser relançado pela Intrínseca, em edição comemorativa pelos 50 anos da publicação da obra. Na nova versão em português, o livro ganhou capa dura e tradução de Daniel Pellizzari.

“O humor e estilo únicos e originais de Kurt Vonnegut o fizeram um dos escritores mais importantes da literatura norte-americana. Sarcástico, ele foi capaz de escrever sobre a brutal destruição da cidade de Dresden, na Alemanha, durante a Segunda Guerra Mundial — sem apelar para descrições sensacionalistas. Em vez disso, criou uma história imaginativa, muitas vezes engraçada e quase psicodélica, estrategicamente situada entre uma introdução e um epílogo autobiográficos”, afirma a editora.

Nova edição de Whitman

O poeta Walter Whitman em foto da Writer’s Digest

Nota do jornalista Maurício Meireles no seu Painel das Letras, da Folha, informa que a Editora 34 prepara nova edição – com nova tradução e novo título, de “Leaves of Grass”, do americano Walt Whitman (1819-1892). Traduzido por Guilherme Gontijo Flores, o lançamento marcará os 200 anos do poeta, nascido na cidade de Huntington, no estado de Nova York, em 31 de maio. A obra, antes “Folhas de Relva” nas edições brasileiras, sairá agora com o título de “Folhas de Capim”.