Começa a Feira de Frankfurt

Frankfurt

Começa hoje, com baixa expectativa por parte dos editores brasileiros, a 70ª edição do principal evento literário mundial, a Feira do Livro de Frankfurt. Com muitas negociações feitas em dólar e um real em desvalorização, aliado à uma grave crise no mercado editorial brasileiro que vem se arrastando desde 2014, tem deixado os ânimos de editores e agentes numa temperatura mais morna. Soma-se ainda o achatamento mundial do mercado. Segundo relatório da própria feira, na última década houve encolhimento do mercado livreiro na grande maioria dos países, com exceção da China. Só na Alemanha, sede do evento, o número de consumidores de livros teria diminuído mais de 6 milhões entre 2012 e 2016. A feira reúne 7,3 mil expositores de mais de 100 países e dura cinco dias.

 

Intrínseca lança clube de leitura

Das boas notícias literárias recentes, merece destaque a da criação, pela Editora Intrínseca, do Intrínsecos – um clube de leitura que antecipará para os assinantes em 45 dias um lançamento considerado “forte”. São dois planos disponíveis: mensal (R$ 54,90) e anual (R$ 49,90). Segundo a editora, “as edições serão exclusivas, em capa dura, com projeto gráfico diferente do que estará nas livrarias. Na caixa haverá ainda uma revista e um brinde”. A editora afirma ainda que o grande desafio da iniciativa será “agradar ao mesmo tempo o leitor de John Green e Elio Gaspari”.

A Intrínseca está completando 15 anos de mercado e é considerada uma das editoras mais populares do país. Ocupa o terceiro lugar no ranking em volume de vendas e tem cerca de 90 títulos em catálogo com pelo menos três deles na lista dos mais vendidos. Entre seus best-sellers estão “Cinquenta Tons de Cinza” (3 milhões de exemplares vendidos desde 2012) e “Crepúsculo” (6,6 mi de exemplares já vendidos). Detém ainda “A Menina que Roubava Livros” e “A Culpa é das Estrelas”.