Vendas em queda na França

Foto: Robert Doisneau

Matéria do jornal francês “Le Figaro” informa que o mercado de livros encolheu no país em 2018. Comparado com 2017, as vendas caíram 1,7% no ano passado, o maior recuo em dez anos. Autores como Guillaume Musso, Michel Bussi e Joël Dicker foram exceções da queda que atingiu sobretudo os best-sellers (-17%). Livros infanto-juvenis e HQs se salvaram. Aumento de 1% nas vendas de cada uma das duas categorias.

Livraria Saraiva anuncia plano de recuperação

Conforme noticiado essa semana pela Folha de SP, a Livraria Saraiva, rede líder de venda de livros no país e em processo de recuperação judicial desde o ano passado, apresentou seu plano de recuperação aos credores. A rede, que já fechou mais de 20 lojas em todo o país, está propondo pagar apenas 5% da sua dívida em 15 anos, com 12 meses de carência. Os 95% restantes da dívida seriam transformados em debêntures a serem emitidos em 2034. A dívida total da rede atinge cerca de R$ 684 milhões. Processo semelhante enfrenta a Livraria Cultura, também em recuperação judicial e com uma dívida de R$ 285 milhões.

Lello dá a volta por cima e bate recorde de vendas

Depois de quase fechar as portas por dificuldades financeira, aquela que figura em nove de cada dez listas das “livrarias mais bonitas do mundo”, a Lello e Irmão, localizada há 113 anos (completados no último dia 13) na cidade do Porto, não só voltou a dar lucro como já é recordista em vendas em Portugal. A informação é da blogueira, do UOL, Giuliana Miranda.

A mágica se deu a partir de 2015 quando a Lello passou a cobrar entrada na livraria (5 euros que podem ser revertidos em compras). Explica-se: a livraria é um dos principais pontos turísticos da cidade e nos últimos anos viu uma horda de Harry Potter-maníacos literalmente invadirem suas instalações para sessões de fotos. É que a escritora J. K. Rowling, autora do maior fenômeno editorial dos tempos modernos teria morado na cidade do Porto e se inspirado nas belíssimas escadarias da Lello para compor a atmosfera da biblioteca de magia de Hogawarts.

Segundo a direção da livraria, cerca de 40% dos visitantes acabam comprando livros, o que em 2017 (os números de 2018 ainda não foram divulgados) representou uma média de 1.300 volumes vendidos diariamente. Antes do início da cobrança de entrada, a média era de 190 livros/dia.

Obra de Lobato ganha novas e diversas adaptações

Menos de um mês após sua obra literária entrar em domínio público, o mercado não perdeu tempo e criações de Monteiro Lobato (1882-1948) já encabeçam uma série de lançamentos de filmes a livros e histórias em quadrinhos. Além da nova edição de “Reinações de Narizinho”, pela Companhia das Letras, já foi anunciado, também, que o clássico “Sítio do Picapau Amarelo”, consagrado em séries nas Tvs Tupi, Cultura e Globo, terá versão para o cinema dirigida por Fabrício Bittar.

Abaixo outros lançamentos já anunciados e listados pelo Caderno 2, do Estadão:

A Chave do Tamanho e O Picapau Amarelo – Biblioteca Azul

Histórias do Sítio adaptadas para o século 21 pelo escritor Pedro Bandeira – Moderna

Urupês – adaptação do livro de contos de Lobato para jovens em preparação Márcia Camargos

Narizinho Arrebitado – Lançamento anunciado pelo desenhista Maurício de Souza com adaptação de Regina Zilberman

Reinações de Narizinho – Série de livros prometida pela FTD com a participação de 11 ilustradores.

Livro de Michelle Obama é o mais vendido na Amazon

Lançada em novembro do ano passado e com 3 milhões de cópias vendidas nos dois meses seguintes, a autobiografia da ex-primeira dama dos Estados Unidos, Becoming (Minha História), lançada aqui pela Objetiva, acaba de assumir a primeira posição entre os mais vendidos da Amazon. Liderava o ranking, até então, Cinquenta Tons de Cinza, lançado em 2012. No Brasil, segundo matéria do Caderno 2, do Estadão, a história de Michelle Obama é o segundo livro de não ficção mais vendido, perdendo apenas para Aprendizados, da top model Gisele Bündchen.