Itaú Cultural premia inéditos em conto, poesia ou crônica

O Itaú Cultural está com inscrições abertas até o próximo dia 1 de março para o Concurso Cultural “Repertório de Utopias”. Serão aceitos textos inéditos nos formatos poesia, conto ou crônica em Word, com até 15 mil caracteres com espaços. Serão selecionados cinco trabalhos e os vencedores serão conhecidos em 9 de abril. A premiação prevê edição em coletânea no site do Itaú Cultural e pagamento pela publicação. Regulamento e formulário de inscrição no link: http://www.itaucultural.org.br/secoes/noticias/chamada-de-textos-antologia-repertorio-de-utopias.

Inscrições abertas

Começam hoje, 9/1, e prosseguem até 14 de fevereiro as inscrições para o Prêmio Sesc de literatura. Serão premiadas obras inéditas nas categorias romance ou conto. Regulamento no sesc.com.br/portal/site/premiosesc. Na edição 2018, os grandes premiados foram: Juliana Leite, com o romance “Entre as Mãos” e Tobias Carvalho, com o livro de contos “As Coisas”.

Poeta brasileira em primeiro lugar no “Oceanos”

Matéria do jornal Folha de São Paulo informa que a poeta e tradutora carioca Marília Garcia foi a grande vencedora do prêmio Oceanos – antigo Portugal Telecom, com o livro “Câmera Lenta”

A premiação foi anunciada pelo presidente português Marcelo Rebelo de Sousa, pela ministra da Cultura portuguesa Graça Marques e pelo diretor do Itaú Cultural, Eduardo Saron, na sexta-feira, 7/12.  O segundo lugar ficou o português Bruno Vieira, com o romance “Hoje Estarás Comigo no Paraíso”, seguido por Luís Quintais (“A Noite Imóvel”) e Luis Carlos Patraquim (“O Deus Restante”). Os dois últimos, livros de poesia.

Ainda segundo a Folha, concorreram 1.364 obras, de 406 editoras. e sessenta semifinalistas foram escolhidos por 76 jurados de diversos países de língua portuguesa. 

Livro de poesia é o destaque do Prêmio Jabuti

Jabuti 2018
Cerimônia de entrega do Jabuti 2018 em foto do site Terra

O Prêmio Jabuti, o mais tradicional da literatura brasileira, foi entregue ontem pela Câmara Brasileira do Livro. Em evento no Auditório Ibirapuera (SP), a obra independente “À Cidade”, de Mailson Furtado Viana, levou o título de o Livro do Ano e mais R$ 100 mil. O autor, do interior do Ceará, fez o livro de poesias – do desenho da capa à diagramação, sozinho.

Na categoria Romance foi premiado “O Clube Dos Jardineiros de Fumaça”, de Carol Bensimon. Em Biografias o prêmio foi para “Roquette-Pinto: o Corpo a Corpo com o Brasil”, de Claudio Bojunga. Entre os infantojuvenis a escolha foi para “O Brasil dos Dinossauros”, de Luiz Eduardo Anelli e Rodolfo Nogueira.

A democracia depende de argumentos

GERMANY-FAIR-LITERATURE-PEACE-PRIZE-BOOK-TRADE
O casal Assmann. Foto/Südkurier

Os escritores e acadêmicos alemães, Aleida e Jan Assmann, receberam no domingo, 14, na Feira do Livro de Frankfurt – um dos mais importantes eventos literários mundiais, o Prêmio da Paz do Comércio Livreiro Alemão. O casal é reconhecido pelos seus estudos e contribuição para o debate internacional sobre conflitos religiosos e culturais.

O prêmio tornou-se ainda mais simbólico num momento de crescimento da extrema direita no país e de ascensão do nacionalismo mundo afora. Segundo trechos publicados na Folha de SP, os Asmann defenderam, em discurso na cidade, que “nem toda voz contrária merece respeito”. Para eles, aqueles que ameaçam as bases da diversidade de opiniões perdem o respeito.

Na edição do ano passado, o Prêmio foi para a canadense Margaret Atwood. Na lista dos já laureados estão também nomes como Albert Schweitzer, Hermann Hesse e Mario Vargas Llosa.