Livros no Oscar

O blog listasliterarias.com enumerou seis obras que inspiraram filmes que estão na disputa do Oscar 2020. Confira:

“O Céu que nos Oprime”, Christine Leunens

Disputa o prêmio em seis categorias, incluindo a de Melhor Filme. O livro deve ser lançado ainda este mês pela Bertrand Brasil.

“Mulherzinhas”, Louisa May Alcott

Com diversas edições em português, o livro inspirou “Adoráveis Mulheres”, também concorrendo em seis categorias, incluindo Melhor Filme e Melhor Roteiro Adaptado.

“Dois Papas”, Anthony McCarten

O filme, dirigido pelo brasileiro Fernando Meireles, concorre com três indicações ao prêmio máximo do cinema mundial.

“Como Treinar seu Dragão”, Cressida Cowell

Terceira adaptação da obra literária, concorre ao Oscar de Melhor Animação.

“O Irlandês – Os Crimes de Frank Sheeran para a Máfia”, Charle Brandt

Obra adaptada pela Netflix indicada em onze categorias e um dos favoritos da crítica.

“Amor de Cabelo”, Mattew A. Cherry

Obra infantil, inspirou filme que concorre na categoria Melhor Curta de Animação.

Jabuti 2019

Depois da “surpresa” da escolha da poeta Elizabeth Bishop para a homenagem da edição do ano que vem da Flip, outra revelação inesperada foi a escolha de “Uma História de Desigualdade – A Concentração de Renda entre os Ricos no Brasil 1926-2013” o livro do ano na premiação do Jabuti. O mais tradicional prêmio literário do país anunciou os vencedores deste ano em evento na quinta-feira passada.

O livro de Pedro H. G. Ferreira de Souza, lançado pela Hucitec, aborda a história econômica brasileira e, segundo comentário do professor e pesquisador Marcelo Medeiros, “trata-se do resultado de um trabalho cauteloso, que envolveu uma coleta de dados atenta, selecionou as informações mais precisas e usou as melhores ferramentas, a fim de apresentar a série histórica mais longa e completa sobre a desigualdade no Brasil”.

Outro destaque do Jabuti foi o prêmio póstumo, na categoria “Crônica”, para Fernanda Young, por “Pos-F: Para Além do Masculino e do Feminino”. Na categoria “Romance”, o prêmio foi para “O Pai da Menina Morta”, de Tiago Ferro, lançado pela Todavia.  

Organizado pela Câmara Brasileira do Livro, a 61ª edição do Jabuti premiou obras em 19 categorias divididas em quatro eixos: literatura, ensaio, livro e inovação e homenageou a escritora Conceição Evaristo.

Outros vencedores:

CONTO

“Um Beijo por Mês”, Vilma Arêas – Luna Parque

INFANTIL

“A Avó Amarela”, Júlia Medeiros e Elisa Carareto – ôZé

POESIA

“Nuvens”, Hilda Machado – 34

BIOGRAFIA, DOCUMENTÁRIO E REPORTAGEM

“Jorge Amado”, Joselia Aguiar – Todavia

LIVRO BRASILEIRO PUBLICADO NO EXTERIOR

“A Resistência”, Julian Fuks

Poeta americana é a homenageada da Flip 2020

Elizabeth Bishop e o gato Tobias. Foto de 1954, do Vassar College Library

Os organizadores da Festa Literária Internacional de Paraty oficializaram ontem o nome que será homenageado no ano que vem: Elizabeth Bishop. Partindo para sua décima-oitava edição, pela primeira vez a Flip celebra um autor estrangeiro. Bishop (1911-1979), nasceu em Worcester, nos EUA, foi premiada com o Pulitzer de poesia em 1956 e viveu 20 anos no Brasil, de 1951 a 1971, no Rio, em Petrópolis e Ouro Preto. Aqui, onde chegou para passar alguns dias, a poeta conheceu a arquiteta Lota de Macedo Soares, com quem passou a ter um relacionamento amoroso, marcado pelo estranhamento cultural, por crises de asma, depressão e alcoolismo.

Da escassa biografia em português, dois livros da autora e um sobre ela merecem destaque: “Poemas Escolhidos”, “Uma Arte: as Cartas de Elizabeth Bishop”, ambos com tradução de Paulo Henriques Britto e lançados pela Companhia das Letras, e “Flores Raras e Banalíssimas: A História de Lota de Macedo Soares e Elizabeth Bishop”, de Carmen L. Oliveira, lançado pela Rocco. Esse último deu origem ao filme de mesmo nome, de 2013, dirigido por Bruno Barreto com Glória Pires e Miranda Otto como protagonistas.

Os finalistas do Prêmio “Oceanos” 2019

Acaba de ser divulgada a lista dos dez finalistas deste ano do prêmio “Oceanos” de literatura em língua portuguesa. Os vencedores serão anunciados em 5 de dezembro. O “Oceanos”, conhecido até 2014 como Prêmio Portugal Telecom de Literatura, é considerado uma das mais importantes premiações literárias entre os países de língua portuguesa, ao lado do “Jabuti” e do “Camões”. Na edição do ano passado, a grande vencedora foi a poeta brasileira Marília Garcia, pelo livro “Câmera Lenta”.

“Alguns Humanos”, Gustavo Pacheco – Tinta-da-China

“A Tirania do Amor”, Cristovão Tezza – Todavia

“O Imortal”, Mauricio Lyrio

“O Preto que Falava Iídiche”, Nei Lopes – Record

“Sorte”, Nara Vidal – Moinhos

“Eliete”, Dulce Maria Cardoso – Tinta-da-China

“Ensina-me a Voar sobre os Telhados”, João Tordo – Companhia das Letras

“Luanda, Lisboa, Paraíso”, Djaimilia Pereira de Almeida – Companhia das Letras

“Meio Homem Metade Baleia”, José Gardeazabal – Companhia das Letras

“Sua Excelência, de Corpo Presente”, Pepetela – Dom Quixote

As capas finalistas do Jabuti

Capas finalistas do Prêmio Jabuti deste ano. Os cinco concorrentes de cada uma das 19 categorias da mais tradicional premiação literária do país foi anunciado essa semana e os vencedores serão conhecidos no próximo dia 28. As capas são de autoria de Diogo Droschi (James Joyce), Luciana Facchini (Letizia Bataglia), Leonardo Iaccarino (O Galo de Ouro), Augusto Lins Soares (Revela-te, Chico) e Tereza Bettinardi (Sapientia). Lista completa pelo link https://www.premiojabuti.com.br/conheca-os-05-finalistas-premio-jabuti-2019/.