Clarice também faz 100 anos

Clarice (à direita) com as irmãs Tania e Elisa em foto do acervo pessoal da escritora

Também celebrando 100 anos de nascimento em 2020, Clarice Lispector é tema de peça que estreou ontem em São Paulo. “Minhas Queridas” foi criada a partir da correspondência entre a escritora e suas irmãs Elisa e Tania nas décadas de 40 e 50 e tem direção de Stella Tobar e Marilene Grama e Simone Evaristo no elenco. A peça está em cartaz no Sesc Pinheiros da capital paulista. Nascida em 10 de dezembro na Ucrânia, Clarice faleceu no Rio de Janeiro, um dia antes de completar 57 anos, vítima de um câncer de ovário.

Hamlet por Geraldo Carneiro

Edição da L&PM, de 1997

Tem lançamento previsto para hoje, na Livraria Travessa, do Leblon, no Rio de Janeiro, a nova tradução de “Hamlet”, de Shakespeare. A edição sai pela Maneira Advogados e é assinada por Geraldo Carneiro, que já traduziu outras peças do autor como “A Tempestade” e sonetos diversos. Carneiro é poeta, dramaturgo, roteirista, letrista com músicas gravadas por nomes como Tom Jobim e Vinicius de Moraes, além de imortal da Academia Brasileira de Letras desde 2017.

Viola Davis vai adaptar peça de Nelson Rodrigues

“O Beijo…” em montagem de 2015. Foto do site heloisatolipan.com.br

Conforme notícia divulgada no final de semana, a atriz e produtora norte-americana – Oscar de atriz coadjuvante em 2017 por “Fences”, Viola Davis vai adaptar “O Beijo no Asfalto”, de Nelson Rodrigues (1912-1980), para o teatro, cinema e televisão. O anúncio foi feito pela atriz por meio de postagem em rede social. A empreitada é uma parceria da Wise Productions, do neto de Nelson, Mauricio Mora, com Juvee Productions, da atriz e de seu marido Julis Tennon. Segundo a Folha de SP, “eles estão em busca de diretores e escritores para produzir as adaptações para cinema e TV, além de planejarem levar a peça para temporadas em Los Angeles e na Brodway”.

Nelson para inglês ler

Em matéria publicada pela TV Folha em 2012, por ocasião do centenário de nascimento do escritor, Ruy Castro fala sobre a importância de Nelson para a literatura brasileira

Conforme notícia que chega pelo Estadão, a quinta-feira e o sábado passados foram dias de celebrações em torno da obra do dramaturgo Nelson Rodrigues (1912-1980) em Londres. O autor, como lembra a matéria assinada por Ubiratan Brasil, é pouco conhecido em outras línguas, mas foi tema de um “festival” na capital britânica, marcado, entre outras iniciativas, pelo lançamento de sete de suas peças traduzidas pela primeira vez para o inglês britânico. Reunidas num único volume, foram traduzidas as peças “Vestido de Noiva”, “Perdoa-me por Me Traíres”, “Toda Nudez Será Castigada”, “Os Sete Gatinhos”, “Valsa Número 6”, “Anjo Negro” e “Álbum de Família”.

Direto do russo

Stanislávski na peça “The Lower Depths”, encenada no Teatro de Arte de Moscou, em 1902

Matéria assinada por Nelson de Sá na Folha informa que “O Trabalho do Ator Sobre Si Mesmo”, do diretor e ator russo Constantin Stanislávski, obra que é referência sobre interpretação não só nos palcos, mas também no cinema e na TV, vai ganhar sua primeira edição em português traduzido diretamente do russo. A editora 34 promete o lançamento da obra para o início do ano que vem. Os tradutores são Diego Moschkovich e Marina Nogaeva Tenório. Até então, só estava disponível no país a tradução da edição americana, intitulada aqui como “A Preparação do Ator”, de 1964, e que enfrentava, entre outras críticas, o fato de trazer apenas a primeira parte da obra original, ainda assim pela metade.