O Guia Mindlin

The Morgan Library & Museum
Morgan Library, em Nova York. Uma das preferidas do bibliófilo José Mindlin.

Dono da maior biblioteca privada do país, o empresário José Mindlin (1914-2010) fez, a convite do caderno de Turismo do jornal Folha de São Paulo, em 1989, um roteiro de grandes bibliotecas pelo mundo. Confira endereços citados por Mindlin em 13 diferentes países:

BRASIL

– Biblioteca Nacional, no Itamaraty

-Gabinete Português de Leitura (Rio)

-Arquivo Nacional (Rio)

-Biblioteca Mário de Andrade (São Paulo)

ESTADOS UNIDOS

-Morgan Library (NY)

-New York Public Library

-Biblioteca do Congresso (Washington)

-Folger Library

-Beinecke Library (Universidade de Yale)

-Houghton Library (Universidade de Harvard)

-Boston Athenaeum

-John Carter Brown Library (Rhode Island)

-Newberry Library (Chicago)

-Bloomington (Indiana)

-State Library (Califórnia)

-Biblioteca da Universidade da Califórnia

PORTUGAL

-Biblioteca de Lisboa

-Biblioteca da Universidade de Coimbra

-Arquivo da Torre do Tombo

SUÍÇA

-Biblioteca de Saint Gal (Região de Zurique)

ALEMANHA

– Biblioteca de Wolfenbuttel

ITÁLIA

-Biblioteca do Vaticano

FRANÇA

-Biblioteca Nacional

-Biblioteca do Arsenal

BÉLGICA

-Biblioteca Real

INGLATERRA

-British Library (Londres)

-John Rylands Library (Manchester)

SUÉCIA

-Biblioteca Real

-Arquivo Militar

RÚSSIA

-Biblioteca Lênin

CHINA

-Biblioteca da Universidade de Pequim

AUSTRÁLIA

-Biblioteca da Universidade de Sidney

 

“Vidas Secas” faz 80 anos

Vidas II

Um dos maiores clássicos da literatura brasileira em todos os tempos, “Vidas Secas” completa neste ano de 2018, oitenta anos de seu lançamento. Quarto romance do escritor alagoano Graciliano Ramos (1892-1953), o livro, cujo título original era “Um Mundo Coberto de Penas”, foi publicado inicialmente pela José Olympio e contava com ilustrações de Aldemir Martins. “Vidas Secas” vendeu mais de 10 milhões de cópias pelo mundo afora, foi adaptado inúmeras vezes para o cinema, teatro e TV e colocou o retirante Fabiano e sua cadela Baleia na galeria dos personagens mais emblemáticos da história literária do país.  Segundo a Wikipedia, com o livro, “Graciliano Ramos cria uma fantasmagórica realidade encontrada no interior do Nordeste, sob a imagem do homem quase bicho, massacrado pelas agruras de uma natureza insólita e de uma sociedade e um governo injustos”.

Começa a Feira de Frankfurt

Frankfurt

Começa hoje, com baixa expectativa por parte dos editores brasileiros, a 70ª edição do principal evento literário mundial, a Feira do Livro de Frankfurt. Com muitas negociações feitas em dólar e um real em desvalorização, aliado à uma grave crise no mercado editorial brasileiro que vem se arrastando desde 2014, tem deixado os ânimos de editores e agentes numa temperatura mais morna. Soma-se ainda o achatamento mundial do mercado. Segundo relatório da própria feira, na última década houve encolhimento do mercado livreiro na grande maioria dos países, com exceção da China. Só na Alemanha, sede do evento, o número de consumidores de livros teria diminuído mais de 6 milhões entre 2012 e 2016. A feira reúne 7,3 mil expositores de mais de 100 países e dura cinco dias.

 

O espanto da censura

littlemermaid

Livros, quem diria, continuam sendo largamente censurados mundo afora. Entre outros títulos com alto grau de “periculosidade” censurados recentemente no Kuwait, conforme noticia o Estadão, estão “Cem Anos de Solidão” e uma versão de “A Pequena Sereia”, aquela mesma, da Disney.

Na lista negra dos censores oficiais estão também uma enciclopédia com um quadro de Davi, de Michelangelo, e uma versão de “1984”, de George Orwell.

“A explicação é o crescente bloco conservador no Parlamento, que está fazendo com que o governo proíba cada vez mais livros. Em agosto, o país admitiu ter proibido, desde 2014, 4.390 livros, centenas deles este ano, incluindo muitas obras de literatura antes consideradas intocáveis, provocando manifestações de rua e protestos online.”

Hoje e amanhã

fernando pessoa
Poema de 1928 do mais universal dos poetas de língua portuguesa, Fernando Pessoa (1888-1935)
Hoje Estou Triste, Estou Triste
Hoje stou triste, stou triste.
Starei alegre amanhã…
O que se sente consiste
Sempre em qualquer coisa vã.Ou chuva, ou sol, ou preguiça…
Tudo influi, tudo transforma…
A alma não tem justiça,
A sensação não tem forma.Uma verdade por dia…
Um mundo por sensação…
Stou triste. A tarde está fria.
Amanhã, sol e razão.